Sobre nós

Como nascemos

O arroz é um dos alimentos mais consumidos mundialmente. Na mesa dos brasileiros, principalmente, esse ingrediente não pode faltar. Foi pensando nisso, junto da vontade de crescer e da dedicação por buscar sempre o melhor, que nasceu a Cooperativa Arrozeira Extremo Sul.

Fundada em 17 de março de 1965, a criação da empresa se deve à inspiração empreendedora do orizicultor Lauro Ribeiro, líder de um grupo de treze outros produtores, todos impregnados pelo espírito cooperativista. Esses precursores tinham o objetivo de receber, secar, armazenar, industrializar e comercializar o arroz produzido no sul do Rio Grande do Sul.

Quem somos hoje

A Cooperativa Arrozeira Extremo Sul está situada na região mais meridional do Brasil, na fronteira com o Uruguai, e sua sede e indústrias estão localizadas em Pelotas e Camaquã, no Rio Grande do Sul. Com mais de 50 anos de história, a empresa possui filiais no Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Fortaleza, Feira de Santana e Campo Grande, além de diversos representantes espalhados por todo o país.

Através da inovação constante, da busca pela matéria prima de qualidade e mão de obra qualificada, a Cooperativa Arrozeira Extremo Sul consolidou-se no mercado nacional e internacional. Com cerca de 10 marcas próprias e algumas exclusivas para terceiros, a Extremo Sul tornou-se referência no setor arrozeiro, exportando para países da África, Ásia, Europa e das Américas.

Estar entre as principais marcas do Brasil, sendo considerada uma empresa confiável e atualizada que preza pela qualidade de seus produtos e serviços.

Produzir alimentos com qualidade, satisfazendo clientes, colaboradores e fornecedores, preservando o meio ambiente, promovendo o desenvolvimento da região e buscando máximo de rentabilidade.

Orientação para produção, trabalho, crescimento e rentabilidade; respeito aos colaboradores, seriedade e ética.

Medidas sustentáveis

A Cooperativa Arrozeira Extremo Sul realiza a correta separação dos resíduos gerados no processo, bem como o encaminhamento dos mesmos para fontes externas de reciclagem/reutilização, estes procedimentos são registrados e encaminhados periodicamente a Secretaria Municipal de Qualidade Ambiental.

Os materiais eletrônicos não utilizados também são encaminhados para empresas certificadas que realizam a triagem e reciclagem dos componentes. Já para as lâmpadas e correias de borracha utiliza-se o procedimento de logística reversa, no qual os materiais utilizados são devolvidos ao fornecedor.

Além disso, a Cooperativa reafirma o seu compromisso com o meio ambiente através da participação na ASLORE (Associação de Logística Reversa), contribuindo com a redução de resíduos de embalagens geradas no meio e investindo recursos em associações de catadores, de modo a colaborar com a sociedade e incentivar a cadeia de sustentabilidade.

O destino dos resíduos líquidos da unidade de parboilização segue o mesmo rigor de controle e destinação, sendo que para o melhor tratamento foi construída uma Estação de Tratamento de Efluentes, em que a água utilizada no processo industrial é reprocessada num conjunto de sistemas, tornando-a compatível com os padrões ambientais.

Para reduzir as partículas sólidas geradas no processo, foi feita a instalação de captadores com filtros de mangas na caldeira, nos secadores e em diversos pontos da linha de produção. Estes sistemas em operação retêm as partículas sólidas liberadas pelo processo, evitando que sejam dispersadas no meio ambiente.

Além das medidas internas, a Cooperativa firmou assinatura de convênio de cooperação mútua com a ANDEF (Associação Nacional de Defesa Vegetal), Sociedade de Agronomia do Rio Grande do Sul, EMBRAPA-CPACT, Universidade Católica e Universidade Federal de Pelotas, Associação dos Engenheiros Agrônomos de Pelotas e as Prefeituras de Pelotas e Capão do Leão, para a construção de uma Central de Recebimento de Embalagens de Agrotóxicos, tríplice lavadas (CRER). O objetivo desta parceria foi oferecer aos consumidores de agrotóxicos (herbicidas, inseticidas etc.) a devida destinação das embalagens após seu uso, ou seja, sem prejuízos ao meio ambiente. Coube à Cooperativa Arrozeira Extremo Sul a cessão do terreno e a construção de toda a infraestrutura através da aplicação de recursos.

Assim, espera-se contribuir para que tenhamos um ambiente saudável e inspirar nossos clientes e colaboradores a seguirem o mesmo ideal.